segunda-feira, 15 de junho de 2009

Nostalgia Académica



Hoje voltei a cruzar o átrio da minha faculdade, não lhe chamo antiga, pois o sentimento de pertença que ainda abunda não o permite de tal forma. Aquela que foi sem sombra de dúvida a minha segunda casa, no período compreendido dos últimos três anos. E é tarefa quase impossível não ter esboçado um sorriso inconsciente, mas que ao mesmo tempo carrega um sentimento de forte nostalgia e misto de cumplicidade, o laço que ainda nos une.

Lembro-me com clareza cirúrgica, de como se fosse hoje, daquela primeira manhã meio chuvosa, da minha primeira e inesquecível visita quase às cegas, lembro de todos os cantos e recantos que percorri, que naquela altura despontavam e assumiam-se como uma novidade assombrosa, lembro-me dos cheiros, das caras e rostos que me receberam e proporcionaram a integração dita normal.


E voltei a sentir aquele friozinho tão genuíno na barriga, do regresso a um local onde fomos felizes, onde demos e conseguimos algo realmente marcante, a nostalgia do regresso a “casa” apoderou-se automaticamente de mim. Num ápice formam-se na minha mente um conjunto de imagens repletas de momentos vividos, jamais esquecidos, que ficaram para sempre registados, eternizados, de amizades construídas que permaneceram até que a vida enfim se dissipe… Impossível seria também não relembrar daquelas inimizades mais vincadas dignas de verdadeiros duelos tamanha era a aversão, ou daqueles que o tempo nem sequer permitiu conhecer para além de um simples e formal Olá…

Ao passar por mais um auditório, por mais uma sala de aula agora esquecida, pela nossa esplanada onde habitualmente tomávamos afincadamente o primeiro café do dia… Risos à gargalhada, choros, noites em claro no marranço, praxes, festas… todo se monta e encaixa como se de uma película cinematográfica trata-se.

Hoje recordei e senti de novo esses cheiros tão particulares, esses rostos familiares, que jamais se apagaram, independentemente do que venha a acontecer de hoje em diante, três anos que significam e têm a importância de uma vida, vivências que marcam de uma forma ímpar.

Hoje voltei a sentir, e constatei que o espírito académico ainda vive e arde em chama incandescente dentro do meu peito!

9 comentários:

ClaudiaMar disse...

(Último post reformulado e resposta ao teu coment).

Sinto-te nostálgico. Por essa nostalgia passei há já 5 anos...
Sabe bem.

I believe disse...

Julgo q smp o sentirá. Ñ deixes q "morra" em ti essa nostalgia. Saudades, a mim já lá vai tb... *** Os melhores tempos q se pode ter, sem dúvida.Eainda penso lá voltar, para mais um curso:P beijinhs

S* disse...

Nao tenho espirito academico. Mas vou sentir muitas saudades daquele parrilheiro a que chaamva faculdade. :D

B. disse...

Ai nostalgia... tenho de tudo menos da universidade, pois ainda cá ando...por mais algum tempo :P
Mas até compreendo..não quererás por acaso vir acabar o meu curso? Eu agradeço!!*

Joli disse...

Hey Sr.Trajado! xD

Pois é, dizem que o melhor tempo das nossas vidas é o passado na faculdade, e parece que têm razão xD Já estive em duas faculdades diferentes (e nunca acabei um curso -.- POR ENQUANTO! LOL) e só de deixar a primeira para vir para a segunda já me deixou com essa nostalgia ^^

São momentos marcantes, sejam eles positivos ou negativos, mas que decerto mudam a nossa maneira de ser, pensar e agir no futuro. Aprendemos muito, e essa aprendizagem não se resume somente às salas de aulas, é uma aprendizagem contínua, intensa, boa :)

E as amizades que fazemos, as pessoas que conhecemos, as ideias que trocamos, os momentos que partilhamos... tudo isso junto faz com que a vida de estudante valha mesmo a pena :DD

Beijinhos***

Bianca disse...

Que belo texto!
Quando chegar o fim da faculdade eu espero sentir o mesmo que voce... mas acho que cada faculdade tem um "ar" diferente!
Mas, sabe sempre mto bem estar na faculdade né? Não só pelas 'festas' (isso ate porque não tenho) mas pela energia que se cria a volta de um desejo!
Beijo

Inês disse...

Gostei,
Bom Blog (:

Ana disse...

Deixamos sp lá parte de nós...

Mary Jane disse...

Ainda á pouco tempo deixei de ser caloira e já fiquei nostálgica, nem quero pensar como me sentirei quando acabar o curso. :S
O texto está muito bonito e espero chegar ao final do meu "percurso" e sentir isso tudo.
beijinho