segunda-feira, 8 de junho de 2009

Fora do Tempo



Ultimamente tenho andado a modos que fora do tempo, fora de tudo, dentro de nada, talvez afectado por um mar de indecisões que teimam em toldar a minha existência, são leves e ténues encruzilhadas, que não me deixam ver o que ai vem, isto porque continuamente apresentam uma leve nebulosidade sinuosa que não permitem grandes visualizações.

Estar fora do tempo é isso mesmo, é conseguirmos olhar e observar continuamente os ponteiros do relógio horas a fio, sem sairmos do mesmo lugar, como se o próprio tempo tivesse a capacidade de nos prender a esse mesmo espaço que no fundo não é mais que a falta do mesmo.

Lá fora o mundo avança sem tempo a perder, esse nunca está fora, e por mais que queiramos ou não entra-nos todos os dias pela nossa vida dentro.

Estou fora do tempo, mas anseio por encontrar novamente o carril que me faça prender-me a ele, que me coloque na linha, para que enfim possa desvendar o trilho, o percurso a seguir.

Até lá, perco-me de amores pelos ponteiros!

2 comentários:

Joli disse...

Ahahah, já dá pa comentar, YEAH! xD

Epah, acho q nunca me tinham feito um comment tão grande LOOL Mas muito obrigado!! :D

Eu ainda não estou no mestrado, ando no primeiro ano de biologia, e já estive no primeiro ano doutro curso, por isso é que tenho 20 anos e parece que estou parada no tempo -.-

E de tempo é o q tu falas no post xD Aproveita esse tempo para fazeres coisas que não podes realizar quando tens um rumo definido (rotinas e isso) :) Isso faz-me lembrar as férias, quando o tempo passa e eu faço rigorosamente nada (LOL), mas sabe tão bem^^

Quando começares o estágio é que vai ser xDD

Beijinhos***

S* disse...

As vezes andar desalinhado sabe muito bem. Nao precisamos de andar dentro do tempo.

Afinal és rebelde, ou nao és?